Print this page
Fotos com História: Linha do Tua - António Cruz
25 October 2014 Written by 

Fotos com História: Linha do Tua - António Cruz

Não raras vezes surgem nos logs fotografias que marcam a diferença, pelo sujeito, enquadramento, pela cor ou textura, ou simplesmente porque nos contam uma "história" para além da palavra escrita. Com esta rubrica pretendemos desvendar a história por detrás da imagem e o contexto que lhe deu vida.

 

E na foto de hoje, publicada primeiro aqui, temos a revelação da origem do título "Tempo Inquieto"

Linha do Tua

Esta fotografia foi tirada num fantástico percurso pela linha abandonada do Tua, no contexto do aniversário do Fernando Rodrigues, também conhecido como Nandini, em setembro de 2011. Na altura, a convite da Flora “Lusitana Paixão” Cardoso, escrevi um pequeno artigo para o portal Geopt. Na altura de escolher um título para o artigo acabei por me decidir por “O tempo inquieto”. Na altura não sabia ou poderia adivinhar que este título haveria também de servir para o meu primeiro livro a ser publicado, sobre um escritor que pretende escrever um romance inspirado na vida de Viriato. Ao reler o artigo deparei-me com uma coincidência: depois de chegarmos à Estação da Foz do Tua fomos de táxi até à Estação da Brunheda; o pormenor delicioso é que o nome do taxista era precisamente Viriato. O nosso subconsciente é realmente incrível!

O percurso é fascinante e felizmente tivemos a oportunidade de o percorrer na sua plenitude, num tempo em que as consequências da construção da barragem ainda não se faziam sentir. A ideia para o título “O tempo inquieto” surgiu daqui: «No final, apesar do cansaço natural, pareceu que não tínhamos sido nós a caminhar; a linha é que se moveu, puxando-nos para a frente e para trás, levando-nos pelo tempo e saltitando entre tudo o que foi, tudo o que é e tudo o que será, como se fosse uma criança irrequieta à espera de um futuro. Contou-nos histórias sobre os sorrisos dos primeiros viajantes, a inquietação das águas que anseiam por subir o seu nível e, por fim, mostrou-nos, lá em baixo, um pneu encravado nas rochas do rio, como se temesse a inquietude destes tempos e de outros que ainda estão para vir.»

 

A fotografia foi tirada num dos túneis, ao aproximarmo-nos do final da caminhada. Por sorte, o sol estava a despedir-se no horizonte, com os raios a aproximaram-se da horizontal, e a luz existente possibilitava que aquela parte do túnel ficasse equilibradamente iluminada. A foto, que mostra também a Flora e o Pedro Brandão a caminharem sobre as traves, transmite-me uma sensação de passagem das trevas para a luz e uma vontade de colocar uma mochila às costas e partir. Existe sempre um caminho à espera das nossas pegadas, por mais inusitado que possa parecer!

por António Cruz

link para o artigo : O Tempo Inquieto

Se gostaste de uma fotografia e tens curiosidade em conhecer a sua história, ou se gostavas de partilhar a história da tua fotografia favorita, envia-nos a tua sugestão de "Foto com História"!



Login to post comments