19de Agosto,2017

Geopt.org - Portugal Geocaching and Adventure Portal

12 May 2017 Written by  GeoLeo

O que levo na minha mochila [canoagem]

De entre outras atividades que pratico, e todas elas com o propósito de estar em contacto com a natureza, a canoagem é uma delas.

Utilizo a canoa para varias atividades, como caça submarina, snorkeling, expedições em rios e barragens e também geocaching, onde, e graças à canoa, já encontrei caches fabulosas em lugares fantásticos.

Como em todas as atividades temos que nos equipar e levar o material necessário para a nossa sobrevivência e para que tudo corra bem. Também com a canoa é preciso material especifico e é sobre esse material que eu vou vos falar, partilhando a minha experiencia.

Dado que adquiri uma canoa insuflável, para facilitar a logística do transporte e do armazenamento em casa, uma das coisas que não pode faltar é a bomba de ar, mas por incrível que pareça já uma vez num evento no Portinho da Arrábida (Viva o Verão "Canoas!? Que canoas!?" GC3MZ1B), esqueci-me e quando estávamos todos feitos para utilizar a minha canoa para irmos fazer a cache da pedra da Anicha não tínhamos como a encher.

A bomba não só a utilizo de início para encher a canoa, mas levo-a sempre comigo, para num eventual rompimento de uma das boias conseguir enche-las novamente e, porque o rompimento de uma das boias é um fator de risco e que pode acontecer a qualquer momento, levo sempre um kit de remendos e um manómetro para verificar a pressão, dado que estas boias são muito sensíveis à pressão e podem romper só pelo facto de as encher muito. Junto com este kit, e em todas as atividades que pratico, levo sempre um kit com material de primeiros socorros para neste caso remendar as pequenas feridas ou traumas que as atividades ao ar livre podem provocar no corpinho sensível que utilizo.

A pagaia e o colete são outros elementos fundamentais pelas razões óbvias da atividade, no entanto o colete nem sempre o uso. Se for caçar ou praticar Snorkeling, como tenho que usar o fato neoprene, não é necessário o colete porque o fato só por si já tem muita flutuabilidade e em caso de acidente o mesmo não me deixa afundar.

Também e só nestas duas atividades é que levo a fateixa ou âncora. Em rios ou barragens quando quero ou tenho necessidade de parar, simplesmente encosto à margem e resolvo o problema, mas em mar isso nem sempre é possível e muitas vezes tenho como objetivo parar longe da costa. Nestes casos só consigo manter a canoa parada se a fundear com a fateixa, também nestes casos levo a bandeira que sinaliza quem está a praticar caça submarina.

Finalmente, o outro acessório fundamental é um saco impermeável. Acessório que só adquiri mais tarde depois de perceber que a água mete-se em todo o lado e é capaz de molhar o que não queremos, por isso agora nunca falha em tudo o que é atividade com a canoa. É onde coloco todo o outro material necessário à aventura que programei e que não quero que se molhe.

O saco que adquiri tem cerca de 50 litros de capacidade, o que para colocar pequenos objetos como a carteira e o telemóvel é muito grande, mas ideal para colocar todo o material para uma expedição de um ou vários dias em barragens e rios.

Nestes casos e como em todas as aventuras de vários dias onde temos que levar muito material incluindo roupa, comer, tenda e todo o que é necessário para sobreviver em locais remotos, este saco dá um jeito incrível porque coloco tudo lá dentro e para além de facilitar o transporte o a arrumação na canoa, salvaguarda estas coisas de uma bela molha e de todo o desconforto que isso provoca quando queremos algo seco e este encontra-se todo molhado.

Texto/Fotos: Leonel Batista (GeoLeo)

Artigo publicado na GeoMagazine #25.



Login to post comments

Newsletter