18de Junho,2018

Geopt.org - Portugal Geocaching and Adventure Portal

29 June 2015 Written by 

Colecionador #002: Adriano Silva

GEOCOIN ID

Nome: Adriano Silva

Localidade: Mealhada

Nickname: Neiaeadry

Owned Trackables: 132

  

 

"... Sempre dissemos que para nós o geocaching é muito mais do que lugares e caixinhas. O geocaching vale, acima de tudo, pelas pessoas que vamos encontrando pelo caminho, e o Adriano foi um belo achado. Uma das pessoas mais descomplicadas e sinceras que conhecemos, de trato fácil e que queremos ter sempre ao nosso lado na altura de fazermos umas caches… e não só. Sempre pronto para novas aventuras, nunca diz não quando é desafiado para fazer umas caixinhas e para passar um bom pedaço com os amigos. Foi com ele que descobrimos também o bichinho das geocoins, essa outra vertente tão interessante do geocaching e pela qual ele se perde de amores..."

Victor e Elsa (VilleCouer)

 

"... Adriano é dos geocachers que só nos fazem sentir à vontade naquilo que melhor gostamos, muito companheiro e capaz de partilhar com os seus amigos tudo o que tiver disponível para oferecer, incansável e sempre muito participativo nas atividades onde reúne os amigos com o objetivo de os fazer sentir que fazem parte de todo o seu mundo, onde uma pitada de loucura e muita adrenalina nos fazem ficar inebriados de exaustão. É um prazer fazer parte do seu grupo de amigos..."

Filipe Câmara (Phyllypsyus)

 

Olá Adriano! Obrigado pela tua disponibilidade em colaborar na Galeria dos Colecionadores.

Olá Pedro. Eu é que agradeço o convite e a oportunidade para participar neste Museu!

Uma excelente ideia e uma maneira diferente de mostrar e dar a conhecer os colecionadores nacionais.

 

Começo por pedir-te uma apresentação do Adriano aka Neiaeadry.

Neiaeadry, é um Geocacher da zona centro do país, nomeadamente perto de dois dos pontos mais giros para se fazer geocaching neste nosso país, as serras do Buçaco, por ser do Luso e a Serra da Estrela, por ter estudado em Oliveira do Hospital.

Neiaeadry vem da junção entre Adriano e Andreia (conhecida por Adryeneia)

O meu logotipo usa um guarda-redes por cima de um fundo com as cores de geocaching, que mostram outra da minha paixão o Futebol.

Como foi o teu primeiro contacto com o Geocaching, e que fatores foram determinantes para que continuasses como geocacher?

O meu primeiro contacto tem uma história muito engraçada. Estudei Turismo numa escola em Oliveira do Hospital, e na Disciplina de Área de integração, onde o tema era outras formas de conhecer locais, lembro – me que o meu professor que até hoje é um ícone para mim neste mundo do geocaching, que é um dos mais antigos Geocachers portugueses (nfnunes), mostrou umas fotos e falou em geocaching.

Na altura ri-me da situação (agora anda a brincar aos piratas).

Em boa hora fui desafiado a experimentar, decorria o ano de 2011 e numa das idas a Coimbra, eu e Adryeneia resolvemos procurar a nossa primeira cache, sem perceber muito daquilo e para começar bem, uma D3, para a nossa primeira, tivemos sorte, e um HD de um muggle facilitou-nos a vida.

Um dos fatores chave para continuar como Geocacher são as pessoas que ao longo destes anos conheço! Este é para mim um dos mais importantes fatores.

Por exemplo são muitos os amigos que tenho nestas andanças, mais que a nível pessoal.

Amigos como os Villecouer (Vítor Moreira e Elsa Fernandes), também eles colecionadores de geocoins, são o grande exemplo disso, conhecemos-mos num evento e já temos uma cumplicidade e amizade como se fossemos amigos de longa data.

Onde se encontra localizado o geocacher Neiaeadry. Como é ser geocacher nessa região?

O Neiaeadry encontra-se localizado na Bairrada e na Beira Serra, dois sítios diferentes, mas ambos com a sua beleza caraterística, no caso da Beira Serra a estupenda Serra da Estrela, no caso da Bairrada a preciosa Mata do Buçaco.

Na Beira Serra, mais propriamente em Oliveira do Hospital (onde iniciei o geocaching) e de onde tenho bons amigos, as caches de qualidade e a beleza da Serra da Estrela faz com que muita gente se desloque até lá para contemplar as fantásticas paisagens.

Já por outro lado, na Bairrada, mais propriamente, Luso e Mealhada, o geocaching é igualmente espetacular, recentemente, um grupo do qual eu fiz parte (com todo o orgulho), criou um projeto para revolucionar o Geocaching aqui na zona “ O Coração da Bairrada”, que trará um outro alento ao geocaching.

 

Vamos falar sobre as tuas geocoins. Como nasceu a paixão pelas geocoins?

A minha paixão pelas geocoins nasce na Marinha Grande GeoFestival 2014.

Uma amiga, a Scratte9 tinha já algumas belíssimas coins na sua coleção que me fascinaram muito, aí surgiu a paixão ainda maior por colecionar estas relíquias.

Na altura tinha 20 geocoins. O estar ligado a uma das lojas Portuguesas, a Geoshop, permitiu-me ter uma visão mais fácil sobre como adquirir e quais as coins que mais gostava, lembro-me que na altura passava horas e horas a ver sites e fóruns sobre geocoins.

Quando é que começaste a tua coleção? Lembras-te qual foi a tua primeira geocoin?

A minha coleção começou em 2013 quando comprei um TB à GeoPT, TB esse que pus a circular e que voltou para casa passados uns meses.

No natal desse ano recebo a minha primeira geocoin prenda de natal da Adryeneia (Andreia Castanheira) era a Rot 13 key, que hoje é o Porta-chaves do meu Cache Mobil (a única coin, que não está junto com as outras).

Pouco tempo depois comprei outra coin creio que o Cessna. (já nem me lembro).

 

Tens alguma geocoin especial. Qual é a "menina dos teus olhos" dentro da tua coleção?

Eu tenho várias geocoins que são as meninas dos meus olhos, mas a que considero como tal é a gas station, uma bomba de gasolina antiga usada no Texas, tem a particularidade de ser coin e ter ptags no topo.


Quantas geocoins possuis atualmente?

Neste momento possuo 130 geocoins.

 

Costumas ativar todas as tuas geocoins ou existem alguns itens que manténs inativos, estrategicamente?

São todas ativas. Compro as coins porque gosto, por isso não faria sentido não as ativar, conheço vários colecionadores mundiais, que fazem precisamente o contrário, têm sempre 3 ou 4 coins de cada e quando elas desaparecem do mercado eles vendem-nas a preços exorbitantes, dou como exemplo as GeoTurtles que desapareceram do site alemão em 10 minutos, e que há malta a vendê-las a 30€ a unidade.

As minhas coins são todas de coleção e por isso ativo-as todas.


Fisicamente, como organizas ou arrumas a tua coleção?

A minha coleção está arrumada de diferentes formas. As mais raras e caras da minha coleção estão dentro de um baú, as outras em 2 dossiers e a maior delas todas como ainda não lhe arranjei uma caixinha bonita para a pôr está a “enfeitar” a sala de jantar.

Não tenho nenhum fator especial de organização dos dossiers.

 Quais são os critérios que aplicas para adicionar geocoins à tua coleção?

Não tenho critério, compro as que gosto e aquelas com quais me identifico, se forem raras e difíceis de arranjar melhor ainda, dá outro alento há minha coleção.

 

Tens alguns temas favoritos?

Sou aficionado pelas compass rose, que apenas me faltam as 2 mais antigas para completar a coleção das compass rose, mas conto tê-las em breve. E pelas geocoins portuguesas as ditas “PT” posso dizer que as tenho todas desde 2006 até a 2015, agora estou a completar as regiões portuguesas e só me faltam 3 ou 4 para completar.

 

Qual foi a geocoin mais cara que adquiriste e o que é que motivou esse "investimento"?

A Coin mais cara da minha coleção foi adquirida a algumas semanas e é a geocoin geofestival de Las Vegas 2013 (são uns dados). Adorei a geocoin pois sou um apaixonado por poker e pareceu-me destino. Uma Coin bastante rara.


Onde costumas adquirir as tuas geocoins?

As minhas geocoins são adquiridas em Vários sítios: lojas online, colecionadores, ebay, Facebook, tem se mostrado o ponto de partilha de muitas coins em que algumas acabo por adquirir.

 

Para além de colecionador, também tens uma loja online. Que tipos de geocoins podemos encontrar lá?

Eu não quero ser só mais uma loja, tenho tentado inovar e tentar arranjar geocoins que não se encontrem facilmente, ou então geocoins de venda exclusivas (por exemplo as GeoTurtles PT)


Já tiveste oportunidade de levar a tua coleção a algum evento de geocaching?

Sim já levei a minha coleção para eventos, mas começa a ficar complicado pois alguns deles não dispõem de logística, que me permitam expor as coins todas.

E depois pela falta de cuidado de muitos a mexerem nas Geocoins.

 Se outros colecionadores de geocoins (ou não) quiserem ver a tua coleção poderão fazê-lo? Se sim, de que forma?

Claro que sim, gosto de mostrar as minhas coins a toda a gente, por fotos ou até mesmo pessoalmente.

Não tenho nenhum museu, mas sempre que alguém quiser, pode perfeitamente dispor da minha coleção.


Costumas falar com outros colecionadores de geocoins? Que ideias costumam trocar?

Sim, eu e mais dois amigos (os VilleCouer e o amigo phyllypsyus) temos um grupo privado no Facebook onde mostramos as novas aquisições e conversamos sobre novas coins e sobre novas aquisições.


Além de geocoins, fazes mais algum tipo de colecionismo?

Não. Nunca me fascinou muito o colecionismo, por isso, neste momento as geocoins são uma verdadeira paixão.


De todas as geocoins que conheces ou que já tiveste oportunidade de apreciar, qual é o "item especial" que sonharias adicionar um dia à tua coleção?

Sim, existem várias mas há uma em especial, uma geocoin do Mogo evento, que é uma pistola de xerife.

 

E para quem está tentado a entrar no mundo das geocoins, que concelho darias?

No início pode custar ir a eventos mostrar uma minicolecção ao lado dos grandes colecionadores, mas a paixão por geocoins é a mesma.

Para colecionar geocoins tem de ter noção que sai caro e dispendioso, colecionem o que gostam e não porque sim. 

 

Obrigado por esta magnífica entrevista! Um abraço Adriano.

Uma vez mais eu é que agradeço pelo convite. Obrigado e um abraço.



Login to post comments

Newsletter