22de Janeiro,2021

Geopt.org - Portugal Geocaching and Adventure Portal

23 January 2016 Written by  Lupinlongo

Geocaching quase 6 anos depois...

Eu sei que já contei esta história muitas vezes, mas volto a contar e a reforçar que o meu geocaching começou lá por volta de 2002 com a cache do choupal… Naquele ano não deu para evoluir no hobbie, porque não havia tempo para ter GPSs. “In those days” só profissionais como geógrafos, topógrafos, Eng’s civis, arqueólogos que usassem diariamente esta ferramenta é que os adquiriam. Estamos a falar que um GPS custava cerca de 100 contos e nem todos tinham essa disponibilidade financeira…

Em 2009 já com telemóvel de Gps integrado comecei a minha caça ao tesouro. Inicialmente com o Lipejlm na Brigada da Bota e depois com o GeoGang. Primeira cache Epigenia… era das que tinha mais estrelas… estávamos determinados a provar que não era assim tão difícil. E não foi, embora no log tenhamos aldrabado um bocado por causa de futuros visitantes.

Foi um período tão bom… era rara a cache que não fosse fantástica, que não oferecesse uma paisagem diferente, uma outra vista, um desafio ou uma historia fantástica. Por aqueles dias corríamos tudo, fazíamos kms mas aproveitávamos ao máximo. Era raro cruzarmo-nos com alguém no GZ, mas quando acontecia, ficava logo ali uma amizade. Os Nicks que rolavam já estavam no ouvido... Quem tinha 1000 caches era “idolatrado”. Num dia bom fazias 10 caches e algumas tinham que estar logo ali senão ficavas-te pela metade. Não havia cá lavagens de roupa suja… O distrito sorria quase todo… as caches que surgiam geralmente era bem preparadas. Era raro apanhar logbooks em modo empapado ou à base de talões e papelitos. Os sacos plásticos lá se iam desfazendo e sujando as mãos… vá não era perfeito mas quase…

Eu andava sempre com uma caixa de brinquedos atras, para eventuais trocas. Esta caixinha era capaz de fazer as delícias de amigos em jantares ou conversas de café. Cada objecto tinha uma história ou um segredo para resolver. Claro que com o evoluir dos tempos a caixa passou a ficar cada vez mais por casa… As trocas iriam desaparecer…
Tiravam-se fotos únicas… algumas mesmo com telemóveis de rasca definição. Dava gosto partilhar essas fotos e escrever longos textos a contar a história por trás destas.
A cache 100 era sinónimo de festa bem regada… ainda posso dizer que custou mais chegar à 100 que à 1000. Lembro-me perfeitamente dessa aventura, algo que não acontece com a 1000…

Chegava o momento de colocar as primeiras caches… inicialmente a titulo próprio e posteriormente em Gang. As ideias tinham que ser únicas e originais… toda a cache tinha um segredo e um mecanismo diferente, era fundamental espalhar sorrisos… Hoje até na originalidade se peca por excesso…
As caches eram pensadas para serem à prova de todas as mãos… nos dias de hoje verifico que as caches ou são mal estruturadas ou há sempre uma mão mais pesada que as destrói. As manutenções tornaram-se dispendiosas e trabalhosas. Caches Natureza quase que acabaram… o pessoal quer é que esteja logo ali. O geocacher anda sempre insatisfeito porque esta sempre à espera de encontrar um super container. Deixou-se de olhar em volta…Mistérios de resolução quase impossível são mais que muitos… Até aqui se inventou o dispensável… caches para não serem visitadas…
Depois vieram as letterbox com a receita sempre igual… depois de ler uma história fantástica chegas a um container final de encher o olho… Então e o carimbo? Até aqui se conseguiu modificar o que é indicado pelo site… e lá no fundo ninguém sabe para que raio servem as letterboxs e a razão de um carimbo no interior.


Depois disto tudo começou a surgir a cobiça a inveja e a maldade…
A minha cache tem de ser sempre melhor que a do vizinho… nem que para isso se seja maldoso… Roubar, destruir para algumas pessoas passou a ser um hábito…Os meus números têm que se superiorizar aos do vizinho… nem que para isso se tenha que fazer “batota”… Não vou lá mas a assinatura aparece por magia…O FTF deixou de ser um local de espera, partilha e convívio e deu lugar á trapaça e ao engano…

Será que alguém me consegue explicar o que é que se ganham quando não se partilha um FTF? E não me digam que é um número numa página que isso para mim é Zero. Se ao menos um FTF enchesse a carteira…
Parece que todos se esqueceram que isto é um hobbie e não um jogo… o prémio são as aventuras e os locais fantásticos por onde passamos.
Com a minha disponibilidade a ser cada vez menor e depois de assistir de canto a algumas inquietações, por opção deixei de insistir…
Pelos nossos lados sempre procuramos estar aparte qualquer conflito… não tomando partidos… falando com todos por igual… Hoje posso dizer que sou grande amigo da pessoa com quem tive a minha primeira e única discussão neste hobbie. E tu podes dizer o mesmo?


Verifico que houve pessoal a misturar a vida privada com a vida das caches… que o pessoal esqueceu prioridades e acabou por se chatear por minimalismos. Isto devia ser para nos divertirmos todos juntos, não para guerras inferiores… Como uma Pessoa próxima me diz… “Uma guerra tem sempre dois lados e nunca ninguém ganha.”
A falta de humildade neste hobbie tem sido desmotivante… já quase ninguém tem “peso na consciência” são poucos os ponderados e a grande parte é incapaz de pedir desculpa.
Pior é quando procuram que tomes partidos… utilizam o “SE” ou o “SENÃO” com tom de ameaça… Pois bem tenho-vos a dizer que Geocaching nunca foi política… não tenho que escolher “lados” nem me dar mal com ninguém. Recuso-me a faze-lo… Procurarei respeitar todos, mas também espero ser respeitado…
Com os números, apareceram caches em massa… com isso veio o objectivo de fazer 100 num dia… obviamente o objectivo foi cumprido, mas o entra e sai foi saturante, não vi nada, não aproveitei nada e se não fosse pelo convívio aquilo nem podia ser considerado geocaching.


Dei a minha opinião publicamente… não gostava que me mostrassem o caminho, preferia ir à descoberta… e com isto causei prurido… não percebo porquê… em algum momento prejudiquei alguma criação desmesurada?
O anedonia por este hobbie começou a instalar-se e gradualmente adoptei outros hobbies... que não me dão dores de pensar e dos quais tenho um retorno mais positivo. Não é um até nunca “como já disseram neste mundo de caches” mas é um até um dia destes…



3 comments

  • Comment Link Ana 31 January 2016 ANAAP

    Quando li este artigo, fiquei super feliz, a coragem deste senhor em publica-lo, aqui na Madeira, vejo e conheço muitas pessoas deste hobbie/jogo, quando me meti neste hobbie foi para conhecer, distrair um pouco e demonstrar valores a minha filha, nas aos poucos e poucos fomos vendo que afinal, este hobbie tem muita gente pobre de espírito e que fazem muita coisa má e são uns puros aldrabões, conheço um da minha zona, que nem consigo o descrever porque realmente não há palavras para este SER, nas também já tentei e falei e aqui nada fazem, sabem o que o SER é capaz; e deixam-no fazer as coisas sempre mal, até penso que este pessoal tem medo deste SER, nas enfim, coisa torta muitas vezes não há conserto também é verdade, dia a dia analiso que este hobbie deveria existir mais regras e rigor, neste tipo de gente.
    Nas sinceramente também não vejo interesse por parte de ninguém a querer esse rigor, por minha tristeza.
    Nas é um SER que posso chamar de JARBAS e tem a mania que é da ALTA; pois é da ALTA da pobreza, que penso que ninguém gosta de ser assim, enfim….
    Até poderia escrever um artigo dentro deste género, nas penso que o meu ia ser mais forte e com muitas mais criticas.
    Dou os parabéns a este senhor quem não teme, diz a verdade e aqui está a pura verdade, que muitos escondem, ainda não percebi muito bem, nas acho que muitos tem o rabo preso como diz o velho ditado.

  • Comment Link Paulo
Hercules 24 January 2016 paulohercules

    Há demasiado negativismo e coisas más expressas nas tuas palavras. :(

    Aconselho-te antes a recordares e valorizares as partes boas e positivas. ;)

    Fases do Geocacher: http://www.geopt.org/index.php/board/viewtopic.php?p=80867#p80867

  • Comment Link Serafim Gonçalves 23 January 2016 TheCelticSpirit

    Ao ler estas palavras, até senti arrepios. Comecei em princípios de 2007 e tudo o que aqui foi dito por este amigo, é real. Quero apenas acrescentar que esse foi também o tempo em que se podia deixar TB ou Geocoins nas caches, sem recearmos que as roubassem.
    Coincidência ou não, tudo mudou quando alguém ou alguns, divulgaram a existência na rádio e televisão.

Login to post comments
Geocaching Authorized Developer

Powered by Geocaching HQ
Geocaching Cache Type Icons © Groundspeak, Inc.
DBA Geocaching HQ.
All rights reserved. Used with permission.

Newsletter